Comida, música e arte de amigos para amigos.

Todo mundo ansioso e com saudades… nós também estamos!

Uma semana para viver a vida na natureza, na Amazônia com a energia única do rio Tapajós, sua beleza, cultura e o sorriso do seu povo. Vamos dançar e amar juntos nesse momento tão esperado do ano!

Filme da edição
Vai Tapajós 2022

Os djs, artistas e chefs que embarcaram na nossa viagem:

DJ Caio Formiga

Caio Formiga, paulistano, integrante dos coletivos Patuá Dj’s e Vinil é Arte, começou sua carreira em 2001 embalado pelo autentico funk de James Brown e o sambalanço de Jorge Ben. É residente das festas Soul Kitchen e Vai Tapajós, festival de ano novo que acontece desde 2014 em Alter do Chão.

Sempre buscando uma combinação entre técnica e pesquisa musical, os toca-discos são suas ferramentas de trabalho, que tem como marca apresentações que fogem ao lugar comum nas quais as mixagens sempre têm uma atenção especial. Com sets que misturam músicas do passado com produções atuais, estilos como Psicodelias brasileiras, MBP70, rap, música regional, Original Funk, Boogie Brasuca e Afrobeat vão se fundindo e interagindo, gerando novas leituras e evidenciando influências.

DJ Cinara

Cinara Martins, mais conhecida como DJ Cinara, iniciou sua carreira como DJ no ano de 2004, em São Paulo.

Bi-campeã brasileira de um dos maiores campeonatos de DJs do mundo, o Red Bull Thre3style, representou o Brasil em 2014 na _nal mundial que rolou em Azerbaijão e em 2015 em Tokyo, onde foi julgada por DJs como Jazzy Je, Z-Trip, Shortkut e Skratch Bastid. Cinara foi a primeira mulher do Brasil a competir na final mundial do campeonato.

Em 2017 ganhou o prêmio de melhor DJ do ano pelo WME Awards by Vevo, a primeira premiação musical brasileira dedicada exclusivamente às mulheres. Em 2019, foi convidada pela Red Bull para a final do campeonato Red Bull 3Style em Taipei (Taiwan). No mesmo ano, se apresentou pela primeira ver em Bucareste (Romênia) e participou do Réveillon N1 em Itacaré, na Bahia, ao lado de artistas como Ivete Sangalo e Baiana System.

DJ Nuts

O paulistano, conhecido também pelo trabalho ao lado de Marcelo D2, é um dos principais DJs do país, e faz sucesso também no exterior com repertório de música brasiliera.

Sucesso aqui e no exterior, começou a se interessar por música na década de 1980. À época, o paulistano passou a colecionar discos e a gravar fitas cassetes para os amigos da escola. Em seguida, o DJ montou uma equipe de som e de iluminação para festinhas. “Quem me ensinou a tocar foi ‘Marcelo 2 Da Bone’, produtor do primeiro disco do Racionais MCs. Profissionalmente, minha estreia na noite foi em 1993, no clube Soweto. Eu abria a pista para o DJ Hum. Na mesma época, fui DJ para a rapper Rose Mc”, lembra.

Amigo de Marcelo D2 há 20 anos — e produtor do primeiro disco solo do rapper, “Eu Tiro É Onda” –, ele já trabalhou com outros nomes importantes da música brasileira, como O Rappa e Chico Science.

Repertório brasileiroOutra marca registrada de Nuts é o repertório brasileiro, predominante nos set lists nas apresentações em todo mundo. O DJ tem referências musicais no mundo todo, mas faz questão de valorizar as pratas da casa.

“Não só no Brasil, mas em todo o mundo, as pessoas são influenciadas pela cultura norte-americana. Eu também sou. Amo a cultura hip-hop. O problema é que vejo o melhor da minha geração tentando ser cópia de algo. Por outro lado, o gosto do público tem melhorado. Parece que está voltando a ficar na moda ser brasileiro”, comenta.

DJ Lys Ventura

Influenciada pela cultura dos bailes de família, Lys cresceu num ambiente onde o rádio, instrumentos musicais, discos de vinil e passinhos sintetizantes de dança sinalizavam seus rumos profissionais. Sua apresentação é composta por batida brasileira, norte americana e africana, mas, sua especialidade são os sets de música jamaicana como o Reggae e o Dancehall, que coleciona em discos de vinil. Em suas performances, Lys traz a tradição do deejay como MC, através dos seus vocais e live mix. Integrou o projeto Feminine Hi-Fi e tocou em festivais internacionais como Telerama Dub (FR), Say It Loud (ES) e nacionais como Bananada (GO), Coala (SP), MIMO (RJ) e In-Edit Brasil (SP). Produz e integra a festa Fresh! Dancehall e, além de discotecar pelo Brasil, Lys já realizou duas turnês passando pelas principais capitais da Europa. Na plataforma de streaming Twitch, apresenta seu programa Hora da Ventura.

Já abriu para o grupo americano Slum Village no festival Nublu Jazz em São Paulo, e já discotecou em casas como: Blue Note SP, Boteco Pratododia (SP), Mundo Pensante (SP), Casa do Baixo Augusta (SP), Aparelha Luzia (SP), Teatro Mars (SP), Jai Club (SP), Fatiado Discos (SP), Memorial da América Latina (SP), Void (SP), Orfeu (SP), Trackers (SP), Mirante 9 de Julho (SP), Cine Jóia (SP), Bombar (BA), Arena Fonte Nova (BA), Ganjah Lapa (RJ) e Circo Voador (RJ). Também em eventos como a Virada Cultural e SP NA RUA, festas como a Ritmo Potente (Dj Hum), Discopédia (Dj Marco, Dandan e Nyack), Fresh! Dancehall. Pelo interior de São Paulo já passou por cidades como Botucatu, Sorocaba, Assis, São Carlos, Campinas, Ribeirão Preto, São José dos Campos... e também já levou seu acervo sonoro ao continente europeu nas cidades de Berlin, Paris, Genebra, Roma, Napoli, Glasgow e Londres. Em 2020, Lys participou do TEDx São Paulo abordando sobre a magia da música, e também recebeu a indicação na categoria melhor DJ pelo WME Awards, que se repetiu novamente em 2021 pela plataforma Women’s Music Event.

DJ Bernardo Pinheiro

Bernardo Pinheiro é um dos mais importantes DJs brasileiros em atividade, com mais de 20 anos de carreira é um artista criativo discotecando, produzindo e compondo. Paraense de Belém, Bernardo desenvolve novas tendências da música tropical, afro-latina e brasileira que renovam a música pop de grandes nomes como Marcelo Jeneci, Fafá de Belém e Stevie Wonder. Suas produções já alcançaram corpos e ouvidos em vários lugares do mundo, e no repertório de outros importantes artistas como Gilles Peterson e Craig Charles da rádio BBC de Londres, trabalhos estes, que estão presentes na série de remixes e edits do Baile Tropical.

 

Sua festa, o Baile Tropical já aconteceu em 12 países em quase 150 edições nestes últimos 8 anos, indo deste pequenos clubs em Belém, Madri, Seul e Buenos Aires até grandes eventos como as Olimpiadas do Rio em 2016 e o BrasilSummer Fest em NY. O set do DJ Bernardo Pinheiro foi ouvido ainda em importantes festivais brasileiros como SeRasgum (PA) e RecBeat (PE).

Show Surpresa - Divulgaremos em breve!

Show Surpresa – Divulgaremos em breve!

DJ TataOgan

A carioca TataOgan é DJ, percussionista, pesquisadora e produtora musical há mais 20 anos. Seu som é marcado pela força dos tambores contrastando ao uso de sintetizadores, que resultam num estilo único – da raíz ao chip – som brasileiro de ontem, hoje e amanhã.
Tocou em diversos festivais como Dekmantel (Holanda), Tensamba (Madrid), Coala festival (SP), Festival Mana (PA), Arte Core (RJ), Red Bull Music Academy (SP) entre outros.
Abriu shows de artistas nacionais renomados como Dona Onete, Gal Costa, Milton Nascimento, Gilberto Gil, Elza Soares, Tom Zé, Lia de Itamaracá, Marina Sena, Josyara, Duda beat, Ava Rocha, Karina Buhr.

Em 2020 foi indicada como melhor DJ no prêmio WME Music e tocou no lançamento do disco “Assim tocam os meus tambores “ do Marcelo D2 na twitch tv para mais de 7 mil pessoas.

Como percussionista, gravou em faixas dos artistas Gerson King Combo, De Leve, Gilber T, Gragoatá, Divã Intergaláctico, Nayah, Tomba Orquestra, entre outros.
Lançou músicas autorais, como “Guanabara”, com Suelen Jabour nos vocais. Hit lançado em 2008, sucesso até hoje nas pistas de dança que exaltam a música brasileira. E “Reza”, em 2014, com Fernanda Cabral interpretando sua composição.
Criadora do projeto “Vitrolinha”, em 2006, com o objetivo de valorizar a boa música e o vinil, e a democratização da cultura no espaço público, que já contou com a participação de Letrux, Valesuchi, Quantic e Frente Cumbiero, e teve edições no Rio de Janeiro, São Paulo e Curitiba.

Assinou recentemente remixes de Arnaldo Baptista, Samuca e a Selva e Afroito.

Kuatá de Carimbó

Criado na Vila de Alter do Chão (PA), no coração da Amazônia, o Kuatá faz um carimbó tradicional e tem como referência os Mestres Verequete, Lucindo, Chico Braga e Chico Malta e o Grupo Espanta-Cão. O grupo já tocou com nomes consagrados da música amazônica, como Dona Onete, Silvan Galvão, Trio Manari, Gaby Amarantos, Patrícia Bastos e Manoel Cordeiro, e, no início de 2018, lançou seu primeiro EP, pelo Selo Alter do Som. Faz parte, também, do Movimento de Carimbó do Oeste do Pará.

Nos shows, os integrantes do Kuatá levantam a plateia com músicas autorais, bem como antigos e novos clássicos do carimbó, que ganham versão em pau e corda – como Boto Namorador, Jamburana e No Meio de Pitiú, de Dona Onete; Lua Luar, do Mestre Lucindo; Uirapuru, de Waldemar Henrique; Carimbó do Macaco, de Pinduca; entre outros. Além do carimbó, o grupo faz também o curimbó e o marambiré, ritmos tradicionais da Festa do Çairé encontrados apenas na Vila de Alter do Chão.

Suraras do Tapajós

Em abril de 2018 nasceu o primeiro grupo de carimbó do Oeste do Pará composto somente por mulheres e o único do Brasil composto somente por mulheres indígenas. Suas integrantes fazem parte da Associação de Mulheres Indígenas Suraras do Tapajós e utilizam o Carimbó como ferramenta para fazer a voz indígena feminina ecoar para além de seus territórios.

Com músicas autorais em Português e Nheengatu – língua falada pelos povos do Baixo Tapajós -, elas tocam também grandes sucessos do carimbó tradicional paraense, com letras que exaltam a natureza, a força feminina e ancestralidade de seus povos.

A apresentação começa com um canto de ritual em saudação ao rio Tapajós, seguida de várias sequencias de carimbó, além do marambiré e curimbó, ritmos tradicionais de Alter do Chão.

Em seus primeiros anos de existência, as Suraras do Tapajós fizeram apresentações em importantes eventos no Norte, Centro-Oeste e Sudeste do Brasil.

Em 2021, o grupo lançou seu primeiro álbum: “Kirĩbasawa Yúri Yí-itá – A Força que vem das Águas”. O trabalho, lançado nas plataformas digitais por meio do selo Alter do Som, traz as vivências das mulheres indígenas e a musicalidade da floresta.

Mestre Chico Malta

Chico Malta nasceu em Santarém e há mais de 44 anos desenvolve seu trabalho como músico e arte educador na região. Descendente das etnias Waiwai e Munduruku, tem na sua produção poética e musical referências diretas às lendas, rituais e costumes dos povos do Tapajós.

Mestre Griô de tradição oral, participou ativamente da campanha pelo reconhecimento do carimbó como patrimônio cultural imaterial brasileiro. Em Alter do Chão, articulou as primeiras oficinas de carimbó pau e corda e, ao lado do artista e luthier Hélder Gama (Catraca), realizou a oficina de construção dos primeiros tambores de Curimbó e maracas, do qual surgiu como aprendiz o Mestre Osmarino.

Hoje, Mestre Chico lidera o grupo de carimbó Cobra Grande e faz parte do coletivo de mestres do Movimento. Contribui com os eventos culturais da Vila de Alter do Chão e é um dos compositores do Boto Cor de Rosa, no Çairé.
Em setembro de 2021 lançou o CD “Rio Mar”, com o apoio e patrocínio da Natura Musical e o livro “Vôos da Imaginação no Barco Voador”. Voltado ao público infanto-juvenil, o livro traz histórias lúdicas sobre a Amazônia e a temática ambiental.

Chef Saulo Jennings

Nascido em Santarém, a qual o mesmo diz ser “a cidade mais bonita do Estado do Pará”. Cresceu no Rio Tapajós e é literalmente um menino do rio. Aprendeu a ter um paladar exigente com seu pai, um eletricista-cozinheiro de mão cheia, que diz ser sua maior influência até hoje. Vive e inviste na paixão que viu nascer dentro da cozinha da casa dos seus pais. É um chef da cozinha do Tapajós.

Hoje, se dedica ao Restaurante Casa do Saulo em Santarém, aos Restaurantes Casa do Saulo Onze Janelas e Casa do Saulo Quinta das Pedras, ambos em Belém e casa do saulo Museu do Amanhã no Rio de Janeiro, possibilitando aos seus clientes a experiência de saborear pratos da culinária do Tapajós, sempre com uma vista paradisíaca e atendimento personalizado. Recebe chefs amigos que imergem na gastronomia amazônica e partilham informação e técnicas. Consecutivamente em 2018 e 2019 a Casa do Saulo recebeu o prêmio nacional da revista Prazeres da Mesa como Melhor restaurante do Norte do país. É ainda colaborador e produtor do Ano Novo Vai Tapajós, e produtor do evento Cozinha Tapajós.

Programação Festas
Vai Tapajós 2023

festa 27/12

peixe
voraz

Nossos barcos estarão te aguardando na Vila de Alter do Chão para o primeiro rolê pelo Rio Tapajós rumo à nossa festa!

Aqui sua experiência na Amazônia ganha cores e formas, a festa acontece em uma praia linda, de areia branca e visual incrível do Rio Tapajós, você e seus amigos desembarcando e o peixe começa a ficar voraz.

Acompanhados pelo pôr do sol,  temos o momento ideal para celebrar sua chegada e tomar aquele Gin Tônica de Cupuaçu preparado pelo James, o barman mais astral da região.

O nosso amigo e chef Saulo Jennings, do restaurante Casa do Saulo (considerado o melhor do Norte do país pela revista Prazeres da Mesa em 2018 e 2019) junto com a sua talentosa  equipe, irão preparar a famosa Piracaia: típico churrasco caboclo de peixe, um costume dos descendentes da tribo Borari, hoje moradores de Alter do Chão. De origem Tupi, o termo significa “peixe assado”, pela junção de “pirá” (peixe) e “kaía” (fogo).

E para molhar as palavras, Cervejinha gelada e drinks de Gin, Vodka, Whisky e Cachaça de Jambú, especiais com frutas regionais como cupuaçu, taperebá e murici, trazendo uma nova vivência de sabores para a caipirinha e o gin tônica!

Nas pick-ups, DJs convidados (confira nosso line-up acima e novas atrações em breve) soltando aquela voracidade tropical, afinal, a gente não tocaria um violão, nem faria uma canção, para um peixe qualquer!

Tudo isso open bar, open food e open barcos leva e traz!

Local da festa: Divulgaremos próximo do evento

Horário da festa: 16 hs às 03 hs

festa 29/12

festa do
boto

As balsinhas com capacidade de 90 a 120 pessoas estarão, à partir do meio dia e à todo vapor, indo e vindo em um trajeto de aproximadamente 20 minutos, para levar todo mundo flutuando pelo Tapajós até a ponta de areia onde acontecerá nossa festa mais longa e emblemática.
Um dia inteiro, e boa parte da noite na praia com muita comida, bebida e especialmente muita música (brasilidades, é claro!).
 

A festa está só começando, mas o caldo da cozinha está grosso, e a turma do restaurante Casa do Saulo preparando aquele rango tapajônico para recepcionar à todos!

As águas doces e cristalinas do Rio Tapajós te convidam à passar o dia inteiro literalmente dentro da água, virando um boto de verdade (daí o nome da festa) e você vai entender que não precisa sair do rio para nada, nem mesmo para dançar ou trocar a sua cerveja, mas isso a gente explica lá!

Festa pé na areia, bailado e muita ginga. Ao longo da tarde, assumem as pick-ups os DJs do Vai Tapajós que preparam sets para dançarmos à luz do sol, descalços na areia e até mesmo dentro rio!

Ao entardecer, teremos show com artistas que mesclam estilos populares amazônicos, como o carimbó, com a vanguarda pop. Mais para frente divulgamos nossa atração surpresa, que promete colocar todo mundo para bailar.

Após o show, mais um DJ convidado assume a festa, soltando aquela energia para fazer a pista de areia virar um fervo pulsante! E para terminar mas não terminado, a tradicional saideira com o nosso irmão e residente, DJ Formiga. Seu set antológico faz a galera vibrar, e como diria a famosa música da Dona Onete “Onde é que Boto mora? Mora nos rios, mora no mar! Boto faz o seu bailado nas águas de preamar. Na hora da maresia, Boto faz fuá fuá!”

Salve o boto, o carimbó, o Tapajós, a Amazônia e o Brasil.

Open bar de Cerveja, Gin, Vodka, Whisky e Cachaça de Jambú, especiais com frutas regionais para a caipirinha e gin tônica. Open food e open barcos leva e traz.

Local da festa: Divulgaremos próximo do evento

Horário da festa: 12 hs às 00 hs

festa 31/12

ano novo
vai tapajós 2023

Um ano novo com muito amor, muita saúde e muita energia amazônica para todos na linda ponta de areia onde vamos passar a virada!

Neste ano novo nas praias da Amazônia, você vai curtir os amigos!
Vai comer!
Vai beber!
Vai abraçar!
Vai rir!
Vai dançar!
Vai beijar!
Vai amar!
VAI TAPAJÓS 2023!

Para a ceia de boas-vindas, novamente o chef Saulo, com sua equipe do restaurante Casa do Saulo, soltam a mão no tempero e o jantar do ano novo vai ser mágico e delicioso como a noite que vamos vivenciar.

Nas pick-ups uma seleção crocante de DJs (confira nosso line-up acima e novas atrações em breve) para deixar a pista fervendo com muita brasilidades e músicas para cantarmos e dançarmos juntos.

Open bar de Cerveja, Gin, Vodka, Whisky e Cachaça de Jambú, especiais com frutas regionais para a caipirinha e gin tônica. Open food e open barcos leva e traz.

Local da festa: Divulgaremos próximo do evento

Horário da festa: 23 hs às 07 hs